quarta-feira, 22 de abril de 2009

O Livro dos Dias

Ausente o encanto antes cultivado
Percebo o mecanismo indiferente
Que teima em resgatar sem confiança
A essência do delito então sagrado
Meu coração não quer deixar
Meu corpo descansar
E teu desejo inverso é velho amigo
Já que o tenho sempre a meu lado
Hoje então aceitas pelo nome
O que perfeito entregas mas é tarde
Só daria certo aos dois que tentam
Se ainda embriagado pela fome
Exatos teu perdão e tua idade
O indulto a ti tomasse como bênção
Não esconda tristeza de mim
Todos se afastam quando o mundo está errado
Quando o que temos é um catálogo de erros
Quando precisamos de carinho
Força e cuidado
Este é o livro das flores
Este é o livro do destino
Este é o livro de nossos dias
Este é o dia de nossos amores

por Renato Russo

Minha Palavra:
É como se fossemos um monte de gente batendo cabeça numa avenida de mão única, em busca da tal liberdade, sem pensar. ‘Se tivéssemos liberdade, o que faríamos com ela?’ - Muitos a prenderiam novamente, outros se perderiam com ela. O que procuramos ao certo nem mesmo nós ainda sabemos. A vida é uma busca, um livro escrito dia após dia, um livro que não é escrito só por um autor, saiba: Ao seu redor, tudo tem influências sobre você, não esconda isso.
por Crônica Mendes

Um comentário:

Joice disse...

Espero que a cada dia possamos encher as páginas de nosso livros de coisas boas. Aprendo muito contigo. Bjo Sophia