segunda-feira, 3 de agosto de 2009

As Horas


As Horas

Você já se viu diante do seguinte ato:
Levantar de madrugada, calçar ou não seu chinelo no escuro, ir até o banheiro ascender a luz, olha pra si mesmo e começar a pensar em toda sua vida, ou em quase toda ela. Ali, frente a frente com você mesmo. Já lhe aconteceu isso? Comigo aconteceu, confira meu monólogo, ora dialogo.

04h37minutos da madrugada.
Tick.
O que você quer à uma hora dessas,
Está me olhando assim por quê?
Já sei.
Está com problemas né...
Também, você quer o que...
Você vivendo dizendo que quer ser feliz, da risada,
Mas só fica ai, trancado nesse seu quarto.
Será que você ainda não percebeu que a felicidade não está trancada no seu quarto.
Ela está em liberdade.
Levante-se, erga a cabeça moleque.
Se você continuar ai, você vai morrer e ninguém vai notar sua morte.
É isso que você quer?
Quantas vezes você chorou?
E nenhuma dessas lágrimas valeu apenas?
Você parou no tempo, mas ainda a tempo.
Esqueça o que passou,
Só assim você poderá viver, por que desse jeito que você está ai ó,
Você está morto, e está de pé de teimoso que é.
É isso que você quer?
Não vou te enganar, você está mesmo mudando,
Sua cara está bem melhor do que antes,
Mas a mudança precisa continuar...
Tem muita gente puto contigo por isso,
Mas também tem muita gente feliz e responsável por essa sua mudança.
Mudança não tem nada haver com regressão,
Nunca deixe que te digam ao contrário.
São tantos professores.
Mas tem muita gente mesmo, contente com sua cara,
Inclusive eu.
Pelo menos até onde a gente sabe né.
Quantos ainda vão se revelar acreditando estar se rebelando?
Quando a mascara cai não é rebeldia, é falsidade escondida durante os dias,
Ou durante toda uma vida.
Mas ó, procure se espelhar sempre no que você escreve,
Putz, isso vai incomodar muita gente.
Mas seja sempre o que você é, não o que querem que você seja.
Lembra quando você escreveu que é importante sorrir.
Então.
As coisas que você perdeu faz parte daquele ontem,
Hoje é outra história.
Você está bonito moleque,
Continue certo que as coisas certas voltam.
E ai, vê se não dá mancada, vê se não vacila...
Não se esconda.
Bom, é isso ai, vai pra batalha vai,
Amanhã é outro dia, amanhã outras estórias virão.
Há, vê se escova os dentes direito e arruma esse cabelo.
Falou meu bom,
Descanse um pouco lá vai.
Até amanhã, ou melhor, até daqui algumas horas.
Boa noite...
Tick.

por Crônica Mendes

Nenhum comentário: