segunda-feira, 28 de junho de 2010

Interno de mim mesmo


Interno de mim mesmo.

Sou interno
E, no entanto, me vejo fora.
Fora daqui.
Sou interno in terno preto,
Social Sem Mocassim.
Não sou produto,
Nem possuo interno bruto.
Sou interno,
Interno em meio à uma sociedade inteira.
Interno inteiro,
Interno em teus termos.
Sou interno de mim,
Interno de mim mesmo.
Sou interno e ao longe me vêem com desgosto,
E meu gosto é não gostar de estar interno.
Esse interno há muitos infernos,
E quando chove, meu interno se interna com pulmão cheio,
Cheio e interno.
Sou interno em capital e interior,
Sou interno, intenso,
Imenso.
E penso,
Penso em sair daqui
Interiormente minha mente é externa,
Meus sentimentos ainda cuidam de mim,
E quando vejo alguém,
Na hora da despedida, meu interno inteiro
Esvazia as lágrimas contidas.
Sou o céu
Sou o meu
Universo.
Sou interno de mim mesmo.

Por Crônica Mendes

Obs: Dedicado à todas as pessoas que se encontram privadas de sua liberdade.

2 comentários:

lOlA disse...

Muito bom Crônica.

Revista DeRolê

André Luis de Vasconcelos disse...

maravilha guerreiro...
interno de mim mesmo 100palavras.
tamujuntu.