segunda-feira, 26 de julho de 2010

Inferno


Inferno


Dentro da cabeça
Fora do coração...
preso a alma,
na fuga da sua solidão.

A vida num Balé doce vai e vem
Quem fica é porque ainda busca teu bem
Quem vai para longe
Quem vem para perto
O desejo de um novo horizonte
Esvaindo na realidade do deserto

Dentro da cabeça
Oca
Vazia
Onde se cria o nada
Fora da boca
Pouca
Cheia
D’água.

Um peito cheio de amor
Olhos cheio de paixão
Mesmo sem saber de onde vem
O que te faz bem,
Na verdade também lhe causa dor.

É quente e interno
Dentro de você
teu universo
Para onde vai quando se está perto?

por Crônica Mendes

3 comentários:

Luara Q. disse...

escreve muito bem!

André Luis de Vasconcelos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Luis de Vasconcelos disse...

É isso Guerreiro Suas Poesias Tambem me Impulsiona a Melhorar e Muito Minhas Escristas, Parabens por mais essa Obra...

André Luis - @sempreandre