sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Menino Periferia


Menino Periferia

Quis ter uma vida,
Nasci.
Quis uma família
Bença mãe.
Quis assistir ao por do sol
Sai de casa a pé.
Busquei chegar até aqui
Agora anseio por seguir em frente,
até onde os olhos podem ir.
E quando chegar lá, enxergarei mais adiante.
Quis jogar futebol,
driblei todos os desafios.
Quis sentir o gosto de um beijo,
não da traição.
Descobri o mundo e as pessoas como elas são.
Quis entender melhor cada uma delas
Fiz amigos(as)
Descobrir inimizades.
Quis fazer uma canção pra viver mais,
Fiz por amor.
Quis ter um tênis novo, um relógio literalmente da hora,
Uma camisa, um calça, tudo no estilo.
Descobri a necessidade de preencher os olhos dos outros.
Estou bem como estou.
Para os outros, já deviria ter morrido no parto.
Mas a partir daí, descobri que a vida.
É muito maior que os problemas que nos envolve.
Nesse lugar que amo chamado Periferia,
é onde o mundo nasce todo santo dia.

por Crônica Mendes

5 comentários:

End Fernandes disse...

Cronica

da hora esse poema heim mano!

pra quem vem de classe desvoforecida mano não basta só querer, tem que correr atrás e ser melhor em dobro pra supera todas as dificuldades.

ao mesmo tempo é preciso tomar cuidado com a ambição que faz nos atropelarmos uns aos outros.

e pra quem tem esse equilibrio e feliciade se torna possivel

saber valorizar as coisas simples da vida pode ser uma das chaves, quando se tem dignidade e elas para valorizar.

Parabens mano

Abrç aew

Tudo de bom

=D

vato disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sancapital (ou PSsancapítal) disse...

E AE CRONICA
arazando como sempre !
fantastic !!!!

lu disse...

sem palavras p vc!!!
meus Parabéns cronicas, continue assim
que Deus lhe abençoe e cada vez mais ilumine seus pensamentos

japao disse...

bem lokoo cronica!!!!!