terça-feira, 15 de março de 2011

Poesia inédita


A Pipa e a Poesia

Faço poesia tal como quem solta pipa
Ponho no ar e deixou por conta
Uns vem a favor outros contra
Mas o que importa é o vento.

Uma linha segura, mas permite a viagem
La do alto tudo é tão simples
Cá de baixo tudo é tão complicado.

Tem dias em que nada sai para o caderno
Nada flui.
Tem dias que o vento não vem, não leva pro horizonte.
Esconde.

Capucheta no fio, Peixinho no céu
Rabiola colorida, é de 20 o carretel.

De vez em quando a gente se vai
Vagando no alto, sem queda livre
Enquanto pernas correm atrás,
Bocas recitam em variados timbres.

A Pipa e a Poesia
Curiosidade e a ousadia.

por Crônica Mendes

4 comentários:

RIKA REEXISTÊNCIA disse...

Cronica, como sempre você consegue dar rumo às palavras e colocar sentimento nas letras.Maravilhoso!

End Fernandes disse...

hehe mano

existe um fio que liga a poesia ao autor, que inspira...

só é preciso tomar cuidado pra que ela estoure, pois como é dificil reescrever aquilo que não foi escrito.

Penso, logo escrevo o/

(o ideal seria assim, mas sempre demoro pra escrever rs)

Abrç

Neia Oliveira disse...

Parabéns...como sempre suas poesias mexendo com nossos sentimentos...

Bjuss

Coisas de Ana Cristina disse...

Nossa, estou encantada com teu estilo e escrita, parabéns querido. Também escrevo mas só falo basicamente sobre o amor. Se um dia quiser conhecer a minha seja muito bem vindo. Estou te seguindo aqui e lá. Abço Parabéns!