segunda-feira, 29 de junho de 2009

Por que faço ou por quem faço?


Por que faço ou por quem faço?

Faço rap, não por faltar opção.
Ou pela ausência do acesso a cultura
Faço rap por que sei como faze-lo.
Não sou coitado, ou coitadinho...
Eu tenho meu valor,
E isso não tem preço.
Faço rap não por que sou rebelde,
Ou rebelde não sou,
Faço rap por que gosto,
Por que me sinto bem...
E tenho muito a dizer,
E meus dizeres, assim como minha vida e a tua,
Serão musicalisados e musicalisadas serão.
Por mim,
E por outros tantos.
A vida não imita a arte ou vice e versa...
A vida é a arte em sim,
E essa arte nossa, nosso rap, é acima do que dizerem,
É uma vida,
Ou melhor dizendo,
O rap são milhares de vidas.
Mas a vida daqui,
Não é muito diferente da de lá.
Lá, onde tudo acontece.
Aqui, onde tudo reflete.
Mesmo com as narrações indignadas.
Não sou mais um negrinho que entrou para o rap,
Por que não teve pai e passou o tempo maior da infância na rua,
Entre as drogas na porta da escola, e as esquinas nossas de-cada-noite.
Faço rap,
Já disse p...
Faço rap por que sei como faze-lo.
Por que faço ou por quem faço?
Faço rap não por causa dos palavrões explícitos.
Minhas palavras são grandes sim,
Mas cabem perfeitamente no tempo,
Compasso em ímpar ou par.
Vamos fazer um rap?
Faço rap por tantos outros motivos,
Mas sinceramente,
Faço rap por que sinto amor.

por Crônica Mendes

2 comentários:

Junior disse...

Faço rap pq eu quero
Faço rap pq eu preciso fazer
Aliás, não faço o rap, ele se faz. Falou!!!

Crônica Mendes disse...

Boa Junior...

isso desperta a expressão nossa de cada dia.

Valeu.