sexta-feira, 4 de junho de 2010

O longo Quintal


O longo quintal

Quando o céu ficou escuro,
E o dia virou noite.
Ela perdeu o controle.
O chão era a cama e o mundo era seu quintal
No desgosto que sentia da vizinhança barulhenta
Ela perdeu o controle.
Sob a luz da lua, sem romantismo.
O que servia era o olhar, e saber que ainda consegue ver algo.
Isso lhe traz a sensação de que a essa altura, infelizmente ainda está acordada.
Não dorme, sonha de olhos abertos.
E perde o controle mais uma vez.
Agora tudo se junta num dia só
A sós, e para onde ir se tudo está do mesmo jeito.
O quintal está sujo
Todas as ruas e caminhos estão sujos...
e nem se pode pisar na grama
Ela perdeu o controle
Sem medo
Sem chance
Entregou-se e foi ao chão
Perdeu o controle.
perdeu.

por Crônica Mendes

2 comentários:

lu disse...

EU GOSTO MTO DE LER AS SUAS POESIAS
VCMANDA BEM DIMAIS COM AS PALAVRAS..

FORTE ABRAÇO

Crônica Mendes disse...

Obrigado Lu, pelo carinho em cada palavra que tu me deixa aqui.
Sinta-se a vontade.

Luz!
Crônica Mendes