segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Alice Desperto


Alice Desperto

Talvez pela manhã,
eu volte a ser o que eu era ontem.
Ou talvez deixe de lado tudo que passou.

Por um instante,
quis deixar tudo ir às cegas.
Mas deixar de acreditar em mim,
é estar morta sem sentir a dor.

Sua ida, é o que causa angustia.
Saber que foi tão jovem.
A guerra lhe consumiu a vida,
lhe deu o direito de matar
e lhe matou.

Não foram às ruas,
Não apagaram as luzes.
Estavam comemorando.
Meu herói,
Minha causa PERDIDA
por ai...
Dá dó.
Dor
Só sabe quem sente,
e quem sente.
Deseja nunca mais sentir.

por Crônica Mendes

2 comentários:

Jéssica Balbino disse...

Oi Crônica, adorei esse texto !!!
Como sempre, você continua escrevendo muito !
parabéns, viu !

beijão

lOlA disse...

Gostei, não a estranhei muito, sei lá, algo me chamou a atenção.